Panorama Geral Sobre as Drogas

Quando falamos sobre o consumo de drogas, devemos levar em consideração as suas classificações e seus efeitos na atividade mental do indivíduo. Segundo dados do IMESC - Instituto de Medicina Social e de Criminologia, órgão da Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo:

Existem várias classificações dos psicotrópicos ou drogas psicotrópicas, porém o pesquisador francês Chaloult as denominavam "drogas toxicomanógenas" (indutoras de toxicomanias), sendo essas dividias em 3 grandes grupos (IMESC; S.N)

Sendo elas definidas como depressoras, estimulantes ou perturbadoras do Sistema Nervoso Cerebral.

Clinicas Reset Prime – Panorama Geral Sobre as Drogas

As Drogas Depressoras são do grupo que diminuem as atividades cerebral, que deprimem a sua funcionalidade, o que faz com que o usuário fique “desligado” ou “devagar”. Em seus efeitos é percebido a diminuição da atividade motora, da reatividade à dor e da ansiedade, desatenção e desconcentração.

São consideradas drogas depressoras: Álcool, Benzodiazepínicos (tranquilizantes ou calmantes), Barbitúricos (soníferos), Opiáceos (morfina, heroína, codeína), Inalantes ou Solventes.

As Drogas Estimulantes são consideras aqueles grupos capazes de alavancar a atividade cerebral, ou seja, que estimulam a funcionalidade do cérebro. Fazendo com que o indivíduo fique mais “ligado”, mais “elétrico”, sem sono. Seus efeitos são o estado de alerta excessivo, aceleração de pensamento, insônia e estado de euforia.

São consideradas drogas estimulantes: Anfetaminas, Cocaína/Crack, Nicotina e Cafeína.

As Drogas Perturbadoras são capazes de provocar alterações nas atividades do cérebro. Perturbam, distorcem o funcionamento cerebral, o que ocasiona os pensamentos distorcidos, como por exemplo, enxergam os objetos deformados, parecidos com as imagens dos sonhos. Os efeitos mais comuns são as alucinações e os delírios

São consideradas drogas Perturbadoras: Cannabis (Maconha), Haxixe, LSD, Ecstasy, Fenciclidina (PCP), cogumelos e algumas plantas.

As drogas naturais são aquelas onde suas substâncias são extraídas de fontes naturais de uma planta ou algum componente existente na natureza e tem seus efeitos considerados como “menos prejudiciais a saúde”. Porém, o efeito é considerado alucinógeno. Alguns exemplos de drogas naturais são: maconha, cogumelos, ópio, chá de iboga, chá de trombeteira, ayahuasca, entre outros.

As drogas sintéticas ao contrário das drogas naturais, são as que são produzidas através de processos químicos. Diferentemente das drogas naturais e semissintéticas, este tipo de substância não tem em sua composição nenhum componente que seja natural, exemplos de drogas sintéticas são: Ecstasy, poppers, efedrina. LSD, anfetaminas, entre outros.

As drogas semissintéticas são as drogas que em sua composição, tem em sua matéria prima as plantas naturais que contenham substâncias consideradas como psicoativas, porém passam por processos químicos que tem em seu objetivo principal, aumentar sua durabilidade e seus efeitos. Exemplo de drogas semissintéticas são: cocaína, crack e haxixe.

Existem variações diferentes no padrão de consumo, sendo eles:

Uso de Drogas: Quando Existe a autoadministração de quaisquer quantidades de substância

Abuso de Drogas: Pode se dizer que é um padrão de consumo que aumenta os riscos de consequências prejudiciais à vida do usuário; segundo a Classificação Internacional de Doenças (CID), o termo “uso nocivo” é aquele que resulta em dano físico ou mental, enquanto no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) “abuso” engloba também consequências sociais.

Dependência: Quando o uso da droga ocasiona uma frequência maior na vida do indivíduo e acaba interferindo na sua capacidade de vivenciar a vida sem a drogas, podendo ocorrer a toxicodependência. Quando o uso de drogas se torna frequente na vida de uma pessoa e interfere com a sua capacidade de viver sem a toxicodependência é muito provável.

Motivos que podem levar uma pessoa a usar drogas, seja ela eventualmente, abusivamente ou criar uma dependência:

Motivo para usar / Tipo de droga / Importância da droga na vida do usuário / Número de vezes que a pessoa usa / Como o uso afeta sua vida e suas relações / Quantidade de droga usada / Com quem usa / Características pessoais / Situação e contexto em que usa

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) “A característica essencial de um transtorno por uso de substâncias consiste na presença de um agrupamento de sintomas cognitivos, comportamentais e fisiológicos indicando o uso contínuo pelo indivíduo apesar de problemas significativos relacionados à substância”

Os sintomas mais comuns presentes podem ser caracterizados pelo forte desejo ou até compulsão que o indivíduo sente de utilizar a substância e a dificuldade de controlar o consumo. Síndrome de abstinência também pode ocorrer quando se encerra ou reduz o uso da substância.

A Síndrome da abstinência ocorre quando o usuário fica um período sem utilizar a substância, representada por sentimentos desagradáveis no corpo, na mente e nos órgãos.

Alguns sintomas são presentes durante a síndrome da abstinência, sendo alguns deles: Tristeza, ansiedade intensa, falta de atenção, inquietação, irritabilidade, agitação, agressividade, náuseas, tonteira, vômitos, diarreia, taquicardia, sudorese, hipertensão arterial, desorientação do pensamento, convulsões, alucinações, ideias persecutórias, colapso cardíaco, morte.

Clinicas Reset Prime – Sistema de recompensa sobre Drogas

Os tratamentos para a Dependência variam entre o uso de medicações, psicoterapia individual, de grupo e familiar, autoajuda (como os serviços do Narcóticos Anônimos – NA e dos Alcoólicos Anônimos – AA), tratamento psiquiátrico e o aconselhamento profissional e de habilidades parentais.

Referências:

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. (2014). 5ª ed. Porto Alegre: Artmed.

São Paulo; Secretaria da Justiça e Cidadania; Classificação das Drogas. Disponível em: < https://imesc.sp.gov.br/index.php/classificacao-das-drogas /> . Acessado em 16 de abril de 2021.

(12) 3424-3380
contato@clinicasresetprime.com.br