ÁLCOOL É DROGA: QUAIS SÃO OS EFEITOS E CONSEQUÊNCIA DO USO?

O álcool é droga! Mesmo assim, é considerado comum nos dias de hoje, assim tendo seu uso social nas mais diversas festas e festividades, bem como seu uso nas casas costumeiramente nos fins de semana ao assistir algum programa de tv ou filme.

O que estou querendo dizer é que a ideia do álcool já está enraizada em nossa cultura e presente em diversos momentos de nossa vida, mas frequentemente esquecemos do que o uso excessivo e/ou abusivo do álcool é perigoso.

O objetivo desse texto é exatamente demonstrar os prejuízos que essa substância pode causar, assim como os efeitos que causa no corpo e possíveis consequências de seu uso.

Também é importante para que se conscientize sobre o processo da dependência química e como ele ocorre, quando alguém deixa de apenas usufruir de uma droga e tornar-se dependente dela.

Álcool é droga?

Sim, o Álcool é uma droga lícita, ou seja, uma droga que é permita seu comercio e consumo, mas muitos esquecem que ela é considerada uma droga psicotrópica, ou seja, atuando no sistema nervoso central, podendo alterar o comportamento de quem faz o uso.

Mas talvez você se pergunte o porquê seu uso é permitido e em certas ocasiões até incentivado por pessoas próximas e até mesmo a sociedade em alguns momentos.

Essa pergunta e outras dúvidas serão respondidas mais adiante, o importante agora é que você entenda que o álcool não apenas é uma droga, mas que também pode ser maléfica dependendo de como for usada.

O álcool é considerado uma droga depressora que atuando em dois estágios, o primeiro é um estado que garante euforia e desinibição, já no segundo é um momento mais depressor e de sonolência.

Por que o álcool é uma droga lícita?

O uso do álcool data desde 6000 A.C, sendo encontrado na história dos mais diversos povos, e possuíam um teor alcoólico baixo, que foram aumentando no decorrer dos séculos, principalmente a partir da chegada dos destilados com os árabes.

Inicialmente se espalhou por toda a Europa como um remédio que curava todos os males, porém seu uso terapêutico foi diminuindo com os anos e seu uso social apenas aumentando.

Com a época das grandes navegações e as inúmeras colonizações que ocorreram seu uso se espalhou por todo o mundo, e por seu grande uso social e a oportunidade de lucrar financeiramente com isso, aliado ao controle que teriam sobre a droga evitando contrabandos, decidiu-se pela legalização, a maioria dos países pensou dessa forma.

Porém toda droga lícita traz prejuízos a quem usa, seja ela o álcool, nicotina ou medicamentos; a diferença é que sua distribuição é controlada e são aceitas socialmente, mas a situação já está fugindo do controle, uma vez que a própria OMS (organização mundial de saúde) afirmou que essas drogas são as mais consumidas e as que mais causam fatalidades.

Ainda segundo a OMS, no brasil 4 milhões de pessoas acima dos 15 anos é alcoolista (novo termo para alcoólatra) ou seja, dependente do álcool.

Segundo a Associação dos Alcoólicos Anônimos, o álcool corresponde como responsável direto a 20% dos pedidos de divórcio, 51% dos acidentes de trabalho, 54% dos acidentes de trânsito, é a terceira maior causa de aposentadoria por invalidez e 60% das ocorrências policiais tem relação com o álcool.

O consumo de bebidas alcoólicas no Brasil

O consumo de álcool no brasil se inicia ainda em casa, com consentimento e as vezes até incentivo dos pais, cerca de 51% das crianças de 10 aos 12 anos já experimentaram o álcool pelo menos uma vez e 15% dos adolescentes entre 10 e 18 anos o consomem regularmente.

O consumo além de ter seu começo predominantemente em casa se inicia muito cedo, o que pode causar danos cognitivos e ao desenvolvimento neurológico e físico.

O consumo de álcool caiu 11% segundo o CISA (centro de informações sobre saúde e álcool), mas aumentou entre os jovens e os idosos, o que significa que os adultos estão bebendo menos, porém as outras esferas vêm aumentando seu uso.

Eu entendo que existem aquelas pessoas que apenas experimentam e não voltam a usar, mas elas são a minoria, uma vez que os amigos também bebam, os pais e a própria sociedade o façam e incentivem, faremos o mesmo.

Somos animais que para viver em sociedade nos enquadramos em certos grupos e vivências para sermos mais aceitos, só tenham cuidado para não beber apenas por esse motivo.

O que leva uma pessoa a consumir bebidas alcoólicas?

Aqui no brasil o álcool é uma droga muito bem socialmente aceita, por isso o uso é corriqueiro e comum, como citei no tópico acima a própria família muitas vezes apresenta e incentiva o uso do álcool.

Além do incentivo familiar, ainda existe o incentivo social, onde amigos, colegas de trabalho e até mesmo pessoas que você acaba de conhecer costumam beber quando saem, seja em festas, confraternizações ou comemorações.

É claro que existem famílias onde o álcool não faz parte do dia a dia, nem do histórico familiar nem das áreas de convívio, seja por já ter tido algum parente dependente ou por crença religiosa, porém infelizmente essas famílias são a minoria neste país.

Mesmo nesses casos a influência de amigos pode ser determinante para o consumo, bem como o sentimento de que tem de beber para parecer mais normal ou para pertencer a um grupo.

Desde a Grécia antiga sabemos que o ser humano é um ser naturalmente social e que procura o grupo para se fortalecer, para alguns pode parecer bobo, mas pense consigo mesmo o que você já fez para entrar ou pertencer a um grupo.

Quais são as principais consequências do consumo de bebidas alcoólicas no organismo?

Acredito que você esteja ciente de que o álcool pode gerar prejuízos quando associado a direção ou outra situação que exija controle físico e coordenação motora, mas quanto aos traços e marcas que ele deixa no organismo, esse é um lado esquecido do uso do álcool.

Saiba você ou não sobre as consequências para o organismo de nosso corpo, explicarei de forma rápida os principais.

Cirrose

A quantidade consumida de álcool por dia determina a chance de desenvolvimento de uma cirrose alcoólica, sendo as mulheres mais vulneráveis, as lesões hepáticas (fígado) podem ser de três tipos, por acumulação de gordura, por inflamação e por aparecimento de cicatrizes, trataremos aqui dessa última que são a cirroses.

O fígado é o local onde se metaboliza o álcool, para que o corpo possa absorvê-lo, porém nesse processo ele acaba por produzir substâncias tóxicas, que causam a hepatite que são inflamações pelo fígado, ao persistir elas vão gerando cicatrizes que quando grandes são chamadas de cirroses.

Apesar de não se saber exatamente como essa doença ocorre, acredita-se que o alto nível de álcool no corpo, predisposição genética, subnutrição e outras doenças no fígado contribuem para seu surgimento.

Pode causar perda de apetite, dor abdominal, perda de peso, náusea e vômitos, em casos graves insuficiência renal e hepática, confusão e danos cerebrais.

Gastrite

A alta ingestão de álcool pode levar a gastrite e inclusive a gastrite aguda; a gastrite é uma inflamação que ocorre na mucosa responsável por revestir o estomago.

A aguda produz um imenso desconforto, produzindo dificuldades para se alimentar, dor abdominal, azia, má digestão e empachamento.

A gastrite aumenta o índice de desenvolvimento de um câncer de estomago.

Câncer

O INCA (instituto nacional de câncer) não aconselha o consumo de bebidas alcoólicas, justamente por aumentarem a incidência do desenvolvimento de variados tipos de câncer.

Favorece ao desenvolvimento de cânceres como faringe, laringe, boca, esôfago, estômago, fígado, cólon, reto, e mama, sendo que mesmo níveis mínimos de álcool podem aumentar as chances de desenvolvimento.

O etanol desempenha um papel de solvente, ou seja, facilitando a entrada, para outras substâncias cancerígenas chegarem até as células.

Úlcera

A úlcera é uma ferida estomacal, que frequentemente doí, principalmente quando nosso suco gástrico entra em contato, sendo o seu principal sintoma a dor na boca no estomago.

Outros sintomas comuns das úlceras são sensação de que o estomago está inchado, fezes escuras ou avermelhadas, dor e queimação na garganta e peito, náuseas e vômitos, sensação de mal-estar e perda de peso.

As úlceras podem ser consequência das gastrites, ou consequência direta do álcool, pois ele aumenta o pH da região estomacal, fazendo assim com que o organismo produza mais ácido e acabe ferindo mais.

Hipertensão arterial

A doença também é conhecida como pressão alta e já atinge cerca de um terço dos brasileiros, e se caracteriza por uma pressão elevada no fluxo sanguíneo arterial de maneira persistente, assim o coração faz mais força para bombear o sangue.

O uso e abuso do álcool já desponta como um dos principais fatores de risco para que se desenvolva a doença, uma vez que, o consumo persistente de álcool já resulta numa elevação da pressão.

A pressão alta pode gerar consequências graves como insuficiência renal, acidentes vasculares, doenças cardiovasculares, derrame, doenças renais e insuficiência cardíaca.

Quais são os sintomas do alcoolismo?

O alcoolismo se configura como a dependência da pessoa para o álcool, o quadro é um problema de saúde pública que acaba por acarretar diversos outros problemas físicos e psicológicos.

Sendo o alcoolismo não só um tipo de dependência química como também considerado um tipo de transtorno mental, essa como as outras dependências químicas é uma doença crônica, não possui cura, apenas tratamento.

Ansiedade

Uma pessoa que passa muito tempo sobre o efeito do álcool, frequentemente demonstrará alterações de humor, sensações como alegria, euforia, depressão e relaxamento, que quando persistente pode permanecer mesmo sem o efeito do álcool.

O consumo pode aumentar para que essas sensações sejam potencializadas e permaneçam por mais tempo, assim quando essa quantidade de álcool diminuir, poderá gerar ansiedade.

Essa ansiedade fará com que o ritmo de consumo aumente ainda mais, e pode afetar outras áreas da vida, como ter ansiedade antes de um evento importante do trabalho, ou de um momento em família.

Tremores

Os tremores podem vir tanto anteriormente quanto posteriormente ao consumo, vem como uma resposta do corpo a falta ou excesso de substância, pois o álcool compromete a coordenação motora.

Com o passar do tempo os tremores podem aparecer, graças ao prejuízo no córtex frontal por efeito do álcool, os tremores geralmente aparecem pela retirada do álcool do corpo, podendo também ser desencadeado por infecção alcoólica.

Compulsão

A compulsão se caracteriza por uma vontade ou desejo de sempre realizar uma ação, nesse caso a ação de beber/consumir álcool, a pessoa que se torna compulsiva pelo álcool, buscará acessá-lo a qualquer momento para se manter sobre efeito da substância.

O consumo exagerado pela compulsão faz com que a tolerância do corpo aumente, tornando mais resiliente ao efeito da substância, fazendo com que sejam necessárias doses ainda maiores e por mais vezes para que se atinja o efeito necessário.

Agressividade

A agressividade aparece geralmente como resposta biológica e neurológica a retirada do álcool do corpo, tornando a pessoa mais irritada e agressiva.

Pois o corpo já está acostumado a absorver e metabolizar o álcool, assim quando há uma falta ou diminuição significativa, vem a ansiedade, a agressividade, depressão, como formas de que você consuma novamente para cessar os efeitos negativos.

Má alimentação

Por vezes o desejo do consumo de uma bebida alcoólica é tão grande que pode diminuir a vontade de comer, podendo gerar distúrbios alimentares.

Podendo ocorrer sem que a pessoa perceba, de forma que só realize que está se alimentando mal ao perder peso ou desenvolver outra doença, como pelo desenvolvimento de anorexia ou bulimia, a pessoa propositalmente deixar de comer e ao comer induzir ao vômito ou uso de laxantes.

Como é feito o diagnóstico do alcoolismo?

Apenas um profissional especializado pode realizar o diagnóstico de forma correta e realizar a manutenção do estado sóbrio; mas existem maneiras de observar sinais da dependência química em si e em alguém próximo.

Segundo o CID (código internacional de doenças) há certos critérios para se realizar um diagnóstico de dependência, precisando ao menos apresentar 3 das circunstâncias abaixo no período dos últimos 12 meses.

  • Perda de interesse de exercícios e tarefas rotineiras e de interação social;
  • Perda de controle sobre o consumo;
  • Compulsão por bebidas alcoólicas;
  • Sintomas e sinais da abstinência física;
  • Aumento da tolerância ao álcool;
  • Ingestão de álcool mesmo quando já se sabe das consequências físicas e psicológicas da ação.

Álcool é droga: Como ajudar um alcoólatra?

Muitas pessoas me perguntam dicas de como ajudar um amigo ou um parente que tem problemas como a dependência do álcool, ou seja, um alcoólatra.

Acredito que diante do que foi exposto no texto até aqui, você já tenha certa noção daquilo que pode fazer, mas darei um foco ainda maior aqui.

Ao perceber certos sinais na pessoa que é alcoólatra, a primeira recomendação é procurar um médico especializado para que possa fazer um diagnóstico apropriado.

É importante também que esteja presente e atenta a evolução das doenças, mas certifique-se de não se tornar dependente da pessoa, de cuidar da pessoa, sua função é ajudar, o tratamento é de responsabilidade da própria pessoa e do profissional que está cuidando.

O alcoólatra age de maneira compulsiva e obsessiva para com o álcool, então incentive o tratamento, não ajude com seus vícios, procure entender a situação da pessoa, contudo sem expor sua história para outras pessoas.

Como todo dependente químico é importante que receba tratamento adequado e especializado, considere todas as opções e tipos de tratamento.

Quais são os melhores tratamentos para alcoolismo?

Dentre as várias opções, algumas despontam como mais eficientes, exemplos bons são a psicoterapia, os grupos de autoajuda, internação nas clínicas de reabilitação, e o uso de medicamentos.

Relatarei sobre elas de maneira breve para que você tenha o entendimento deles, mas sem comprometer o objetivo principal do texto.

A psicoterapia e suas diversas abordagens, seja a psicanálise, terapia cognitiva, terapia humanista, apesar de suas divergências, todas ela procura entende os passos que levaram a pessoa até a dependência e corrigir os demais valores que se corromperam.

Os grupos de autoajuda, estão ali para que as experiências individuais sejam compartilhadas entre si e fortalecer uns aos outros, assim como construir novos valores guiados pelo programa de doze passos para um novo modelo de vida.

A internação em clínicas de reabilitação, serve como um local em que o interno é cuidado por uma equipe interdisciplinar e muito qualificada, por uma abordagem biopsicossocial, com afastamento físico das drogas.

O uso de medicamentos é mais usado durante a parte da desintoxicação, para conter os sintomas de abstinência e pode ser utilizado de forma para conter sintomas e de forma terapêutica para doenças além da dependência.

Quais são as principais fases do tratamento de alcoolismo?

A primeira parte é a da pré-contemplação, onde o dependente é altamente resistente a mudança, ainda não entende o que acontece com ele e não aceita a sua condição.

Após a pré-contemplação, vem a fase de contemplação, que tem a função desmitificar e ensinar sobre a doença da dependência e do que ela causa, e como ela altera suas crenças e atitudes.

Estando consciente é preciso agora aceitar, vindo a fase de preparação, pois a pessoa começa a enxergar todos os males e prejuízos que foram feitos por ela na época da dependência.

A etapa de ação vem de quando a pessoa põe em prática os ensinamentos aprendidos e se envolvem de fato em sua recuperação, buscando as mudanças de suas atitudes e comportamentos que se consideram causadores dos problemas.

A última fase é a fase da manutenção, onde é o período de pôr em prática tudo o que foi apreendido e manter as crenças, atitudes e comportamentos.

Sendo está fase mais repleta de desafios, pois necessitará de um esforço contínuo para não ter uma nova recaída e assim possa prosseguir com seu novo modelo de vida.

Onde encontrar uma clínica de reabilitação para tratamento de alcoolismo?

As clínicas de reabilitação para alcoolismo podem ser encontradas através de pesquisas na internet, seja por redes sociais ou pelo google e sites de pesquisa.

Procure analisar os sites de conteúdo dessas clínicas como o blog delas, para entender melhor como funciona o modelo de tratamento de cada clínica.

Clínica de recuperação.

A clínica contamos com diversos profissionais qualificados e preparados para o suporte, médico e ambulatório disponível 24 horas, veículos de ambulância preparados para as necessidades e um modelo de tratamento único.

O modelo de tratamento com abordagem biopsicossocial contempla três etapas, o aconselhamento em dependência química, a terapia racional emotiva e o programa de doze passos.

Conclusão

A partir desse texto é possível entender que o álcool além de ser uma droga é uma das mais perigosas, pois apesar de lícita, se considerarmos seu aspecto social, ela é imensamente destruidora.

Pois é associada a acidentes de trânsito, acidentes de trabalhos, homicídios, crimes contra o patrimônio público, não é porque é permitida que pode ser usada de qualquer jeito e associada com qualquer tipo de coisa.

Assim é possível que nós identifiquemos uma série de problemas com relação ao uso abuso do álcool, sejam eles físicos, psicológicos, sociais e culturais.

Projeto Web Site - Agência, Projetos, Marketing, Websites